A feira de Tarabuco

No período em que ficamos em Sucre, fomos conhecer a feira que acontece aos domingos na cidade de Tarabuco. A região é conhecida por ter os melhores tecelões da Bolívia e, nessa feira, supostamente, podem-se comprar tecidos diretamente dos produtores, a preços mais baixos.

Mas, além de uma pequena área para os turistas, o que acontece na cidadezinha é uma enorme feira, em que os moradores da região vão para comprar e vender de tudo. Nós, em geral, adoramos conhecer os mercados locais, mesmo que sejam sempre mais ou menos parecidos, e, a partir deles, ir observando hábitos e os produtos que vão surgindo ou desaparecendo de uma área para outra.

19-DSC_0117

Essa parte que não é para turistas, na qual ninguém dava bola para nossa presença, foi uma experiência interessante. Muitas pessoas ainda se identificam por vestimentas tradicionais, o que tornava tudo mais curioso para nós.

20-DSC_0123

23-DSC_0134

21-DSC_0126

Por outro lado, na praça central, onde estavam as lojas para turistas, recebíamos abordagens insistentes, apelando para nossa pena, chegando a implorar para que comprássemos algo. Passamos por um desconforto que nos fez pensar qual seria o papel do turismo em comunidades como essa. Já sentimos isso em outros lugares, por exemplo, nas ilhas do Lago Titicaca – Peru e na Ilha de Páscoa – Chile. A impressão é de que, de tradições indígenas mais fortes e sem alternativas econômicas, existe uma relação controversa com o turismo e com o turista.

22-DSC_0133

Talvez essas pessoas recorram ao turismo por falta de opção econômica, mas, em seu orgulho original, preferissem trabalhar em outras coisas mais “dignas” que produzir e/ou vender artesanato. Já nós, turistas, por outro lado, mesmo em um lugar exótico, acabamos buscando sempre um padrão que talvez não respeite os hábitos locais. Pensamos se o turismo não seria também mais uma forma de imperialismo cultural, já que apenas os que se adaptam a esses padrões conseguem dinheiro dos estrangeiros que andam por ali.