Santa Cruz e o Vale de Colchagua

Santa Cruz e o Vale de Colchagua não estavam em nosso roteiro inicial, mas quando estávamos no final da Carretera Austral, na fila da balsa para Hornopirén conhecemos outro viajante, Chileno, que nos disse que a região era imperdível, e que deveríamos sim passar por lá.

Consultamos nosso guia e realmente ele descrevia a região como a mais importante zona vinícola do Chile, com paisagens e roteiros que chamaram nossa atenção. Apesar de não sermos nem um pouco entendidos em vinhos, decidimos seguir para lá após deixarmos Pucón, em busca de um pouco de sol, belas paisagens e, porque não, vinhos.

Como não encontramos nenhum camping na região, ficamos no Hostel del Centro e à noite entramos em contato com o Patricio, um “land roveiro” de Santa Cruz, de quem já nos havia falado o amigo Sergio Vega, de Punta Arenas, que nos passou seu contato. Quando encontramos o Sergio e a Leonor em Punta Arenas, eles nos passaram uma lista com vários contatos de amigos para procurarmos ao longo da viagem, mas nem sempre conseguimos encaixar estes encontros no nosso roteiro, e infelizmente acabamos perdendo algumas oportunidades. Em Santa Cruz deu certo, e fomos encontrar o Patricio.

Passamos para encontrá-lo no seu bar, o 179, onde estava com amigos em um churrasco tomando uns tragos. Conhecemos a turma, muito simpática, e saímos de lá com um convite para no dia seguinte visitarmos sua propriedade nos arredores da cidade, e conhecermos um pouco da região.

No dia seguinte circulamos por algumas vinícolas e ficamos impressionados com a variedade de cores das árvores e folhas que nesta época (outono) ficam ainda mais bonitas. Encontramos o Patrício no fim do dia e fomos conhecer sua propriedade, e ao chegar lá nos deparamos com um lugar fantástico, com domos geodésicos no meio das árvores de frente para uma enorme plantação de limões e laranjas. O Colchagua Camp é um lugar realmente impressionante e especial. São seis domos muito aconchegantes, totalmente equipados, com deck com hot tub ao ar livre, banheiro, e total privacidade para uma estadia romântica e tranquila. Conhecemos a Verônica, sua esposa, e não tivemos como recusar um convite para passarmos a noite por lá.

No dia seguinte ficamos ainda mais encantados, pois aí sim pudemos conhecer o lugar, à luz do dia, e com um tempo maravilhoso. As fotos e o vídeo falam por si. À noite fomos novamente ao 179 onde passamos mais uma noite maravilhosa na companhia do Patricio, Veronica e do Claudio, regada a vinhos da região.

Ficamos ainda mais duas noites no Colchagua Camp, cada vez mais impressionados com a estrutura, as cores, o jardim, a piscina e o céu estrelado. Para quem vem ao Chile, principalmente à região de Santiago, vale à pena uma esticada até Santa Cruz para conhecer.

Confira o vídeo:

Realmente Santa Cruz, de uma região pela qual sequer passaríamos, acabou sendo uma enorme surpresa não só pela beleza das vinícolas, das cores e das paisagens, mas principalmente pela hospitalidade dos novos amigos que tivemos a oportunidade de fazer.

Muchas Gracias Patricio y Veronica!