Nossa rota até agora, depois de 9 meses e 30 mil km rodados…

Saímos do Brasil dia 16 de Fevereiro e até agora foram cerca de 30 mil Km rodados, por Uruguai, Argentina, Chile, Bolivia, Peru, Equador e Colômbia.

Fomos até Ushuaia pela Rota 3 – Argentina, subimos passando por Torres del Paine (Chile), El Calafate e El Chaltén (Argentina), e percorrendo toda a Carretera Austral no Chile até Puerto Montt.

De Puerto Montt subimos até Santiago, cruzamos a Cordilheira dos Andes para Mendoza (Argentina) e subimos até Salta, de onde cruzamos novamente para o Chile até San Pedro de Atacama.

Ler mais

La Paz e as ruínas de Tiwanaku – últimos dias na Bolívia

De Sucre tomamos o caminho de volta a Potosí, pela estrada 5 para, daí, retomar a 1, que nos levaria a La Paz. O caminho era mais longo, mas, de acordo com o que nos informaram, era também o mais rápido. Fizemos uma parada na desinteressante Challapata apenas para dormir e, no dia seguinte, chegamos à capital do País.

Já estávamos tão aclimatados com a altitude, que percorremos à pé várias das ladeiras que compõem o centro. A geografia da cidade, em meio a montanhas e quebradas, é impressionante. Outra coisa que nos impressionou muito foi a rede de teleféricos recém implantada, através da qual é possível cruzar grande parte da cidade em cabines a dezenas de metros de altura.  Chega a dar aquele friozinho na barriga típico de parques de diversão. Ler mais

A feira de Tarabuco

No período em que ficamos em Sucre, fomos conhecer a feira que acontece aos domingos na cidade de Tarabuco. A região é conhecida por ter os melhores tecelões da Bolívia e, nessa feira, supostamente, podem-se comprar tecidos diretamente dos produtores, a preços mais baixos.

Mas, além de uma pequena área para os turistas, o que acontece na cidadezinha é uma enorme feira, em que os moradores da região vão para comprar e vender de tudo. Nós, em geral, adoramos conhecer os mercados locais, mesmo que sejam sempre mais ou menos parecidos, e, a partir deles, ir observando hábitos e os produtos que vão surgindo ou desaparecendo de uma área para outra. Ler mais

Sucre foi uma boa surpresa

18-DSC_0106
Sobre a Iglesia de San Felipe Neri.

Sempre me incomodo quando leio posts em blogs de viagem com um título como esse, pois me dão a impressão de que a pessoa se surpreendeu mais por ignorância a respeito do lugar aonde foi do que por outro motivo. Pois foi assim mesmo que entramos na Bolívia, com um certo preconceito em relação ao país mais pobre da América do Sul. As preocupações com segurança, somadas ao frio, à altitude, e agravadas por nossa intoxicação logo no segundo dia no país, faziam com que a gente quisesse passar por lá o mais rápido possível, e quase cortamos Sucre do trajeto, por estar fora do caminho mais curto a La Paz.

Mas, felizmente, não o fizemos. O fato é que percebemos que estávamos completamente errados. Ler mais

O pior dia dos namorados, em Uyuni

Como estávamos exaustos depois de ter iniciado o dia às 3 horas da manhã, decidimos ficar no melhor hotel que encontrássemos em Uyuni e relaxar e assim chegamos ao hotel Toñito. Foi nossa sorte.

Almoçamos em um restaurante, jantamos pizza sem sair do quarto e assistimos TV. Coisas banais do dia a dia, mas que, na nossa rotina atual, são raras. Deixamos o combustível congelar à vontade na madrugada, pois só sairíamos, preguiçosamente, no início da tarde. Ler mais